Período de exibição encerrado

09 junho, 21H

#audiovisual

Ah, se eu fosse Marilyn!

BAHIA

15

Performance de Edu O. inspirada na peça Dias Felizes de Samuel Beckett que reflete sobre a passagem do tempo. Aonde chegamos? Quando chegamos? A forma cíclica, inconstante e impermanente como a vida vai se apresentando, nos propõe muitas reflexões sobre desejos, sucesso, expectativas. O tempo segue sempre inexorável. Uma proposta artística que versa sobre os padrões corporais e morais que se impõem às individualidades e particularidades de cada pessoa. Busca de forma sutil e imagética o respeito às diferenças, tolerância às escolhas pessoais e ao exercício do coexistir em meio à solidão. A audiodescrição e libras nesse trabalho são compreendidas para além de recursos acessíveis a pessoas com deficiência, mas ferramentas de criação artística e estética, integrando a performance em seu caráter poético.

Ficha técnica

Intérprete-criador, diretor e editor do vídeo: Edu O.

Imagens, figurino e produção: Nei Lima.

Roteiro e edição de audiodescrição: Juniro Almeida.

Consultoria e locução de audiodescrição: Ira Vilaronga;

Instagram: @eduimpro

 
MINIBIO DXS ARTISTXS
 
Edu O.

Edu O. é artista da dança, performance, teatro, escritor e professor da Escola de Dança da UFBA. Mestre em Dança (PPGDANCA/UFBA) com especialização em Arteterapia (UCSal), doutorando em Difusão do Conhecimento (DMMDC). Diretor do Grupo X de Improvisação em Dança e co-fundador do Coletivo Carrinho de Mão. Entre seus trabalhos artísticos, destacam-se: Judite quer chorar, mas não consegue!, Odete, traga meus mortos, Ah se eu fosse Marilyn, O Corpo Perturbador, Bonito, Striptease-Bicho e Kilezuuummmm. Com experiência internacional, desde 2004, é artista e produtor do intercâmbio Brasil-França Euphorico, parceria entre o Grupo X e Cir Artmacadam, também atuou junto à Candoco Dance Company (Londres), Cie Kastor Agile (Lyon) e o coreógrafo Alito Alessi (EUA).